Assessoria de Imprensa FENACEF

Assessoria de Imprensa FENACEF

Jornalista Responsável pela Assessoria de Imprensa da FENACEF.

URL do site:

Comprovação de vida será realizada nas agências da CAIXA

No dia em que comemora 36 anos, a FUNCEF lança o Recadastramento Anual de Aposentados e Pensionistas, que terá início em outubro. Isso significa que os assistidos deverão fazer a comprovação de vida e também atualizar os dados cadastrais que estiverem incorretos. Este procedimento poderá ser feito em qualquer agência da CAIXA no país. Os aposentados deverão comparecer no seu mês de aniversário, já os pensionistas deverão se recadastrar no mês de aniversário do titular do plano.

A medida contribui para a saúde financeira do fundo de pensão, pois evita o pagamento indevido de benefícios. A FUNCEF já realizou essa ação em moldes semelhantes e a diferença, no modelo atual, é que ele passará a ser feito anualmente. Segundo a coordenadora de Cadastro, Andreia França, “a finalidade do recadastramento é zelar pelo patrimônio dos planos, que pertence a todos os participantes”.

O diretor de Benefícios, José Carlos Alonso, ressalta a importância dessa ação para a sustentabilidade dos planos: “o recadastramento é um processo contínuo, de vital importância para a manutenção dos planos de previdência, e que garante proteção aos nossos participantes. Estamos trabalhando para sistematizar o processo a fim de que os aposentados e pensionistas possam participar de forma rápida e fácil”.

Os assistidos receberão correspondência, dias antes do seu mês de recadastramento, com todas as orientações. O processo é simples: basta comparecer a uma das agências da CAIXA, portando um documento de identidade com foto e o formulário recebido pelos Correios. Se for preciso atualizar alguma informação cadastral, deverá ser apresentado documento que comprove a alteração.

O recadastramento será obrigatório e não serão aceitas procurações. Quem estiver impossibilitado de comparecer a uma agência da CAIXA, deverá ligar para a Central de Atendimento da FUNCEF (0800 706 9000) e agendar uma visita. Atenção: quem não se recadastrar no mês estipulado pela FUNCEF poderá ter seu benefício suspenso e, em último caso, cancelado.

 

FONTE: Comunicação Social da FUNCEF

 

PMPP E PADV: FENACEF SEGUE NEGOCIANDO

Publicado em Notícias

Assuntos vão de condições de trabalho a questões de interesse dos aposentados. Debates começam na próxima rodada, quando estará sobre a mesa a pauta de reivindicações da campanha salarial 2013

A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT) obteve nesta quinta-feira 12, em Brasília, durante rodada das negociações da mesa permanente conduzidas pela Comissão Executiva dos Empregados (CEE/Caixa), o compromisso da empresa de apresentar posicionamento a respeito de uma série de reivindicações ainda pendentes de respostas. Os assuntos vão de condições de trabalho a questões de interesse dos aposentados.

As respostas ao bloco de pendências deverão ser encaminhadas pela Caixa à Contraf/CUT antes da próxima rodada de negociações, quando já será colocada sobre a mesa a pauta de reivindicações específicas dos empregados para a campanha salarial de 2013.

Aposentados
As discussões foram abertas com a apresentação dos pleitos dos aposentados por Décio de Carvalho, presidente da Fenacef e representante do segmento na CEE/Caixa. Foram cobradas soluções para os problemas relacionados ao PMPP, plano que conta ainda com 846 participantes da Funcef, e também a inclusão no Saúde Caixa de 4.765 aposentados por PADV, como tem sido assegurado nos PAAs.

Décio de Carvalho ressaltou que os participantes do PMPP, todos já acima de 80 anos de idade, estão há quase duas décadas com seus proventos praticamente congelados, sofrendo sérias dificuldades por conta do descaso com que foram tratados ao longo dos anos. Frisou ainda que a falta de assistência pelo Saúde Caixa compromete seriamente também as condições de vida dos aposentados por PADV, uma vez que não conseguem arcar com plano de saúde oferecido pelo mercado.

O dirigente da Fenacef cobrou da empresa informes permanentes sobre o andamento da questão dos excluídos do Saúde Caixa. A empresa disse que ouvirá a área técnica sobre as implicações e as possíveis soluções e dará os informes a cada rodada das negociações permanentes. Décio de Carvalho lembrou que “os desassistidos representam apenas 3,6% dos 130.046 usuários do plano”.

Condições de trabalho
O tema condições de trabalho envolveu questões relacionadas aos tesoureiros, compensação de horas extras, ranqueamento de empregados, assédio moral/descomissionamento, login único e trabalho aos sábados.

Tesoureiros – Os representantes dos empregados ressaltaram os problemas enfrentados pelo chamado tesoureiro solitário (único na unidade), a começar pelo não-recebimento de horas extras, sem que, em muitos casos, sequer ocorra compensação, já que não há substituto.

A Caixa foi lembrada do fato de ela já ter se comprometido em tomar providência para acabar com a figura do tesoureiro solitário com a contratação de um segundo, mas que a medida acabou sendo descaracterizada pela lotação dos contratados em agências que foram abertas.

A Contraf/CUT – CEE/Caixa condenou ainda o fato de o Termo de Verificação de Ambiência (TVA) ter passado a fazer parte das atribuições dos tesoureiros.

Compensação – A compensação de horas trabalhadas foi caracterizada pelas representações dos empregados como prática em desacordo com o previsto no acordo coletivo. Além de se dar de forma cada vez mais ostensiva não há sequer o aviso de cinco dias de antecedência, conforme exige o acordo. Além disso, a compensação só deveria ocorrer em comum acordo, mas raramente o empregado é consultado.

Ranqueamento – A denúncia é também de desrespeito ao acordo coletivo, que não permite o raqueamento de empregados nas unidades. Há registros do uso de mecanismos de disfarce, com no caso de campanhas de premiações e da formação de “galeria de notáveis” da unidade.

Assédio moral – A Contraf/CUT – CEE/Caixa denunciou a reincidência de gestores na prática de assédio moral e cobrou que, nesses casos, as providências por parte da empresa sejam imediatas.

Descomissionamento – A retirada de comissão passou a ameaçar até mesmo os caixas executivos, uma função para a qual a Caixa sempre teve dificuldade para atrair interessados. Os representantes dos empregados reafirmaram o entendimento de que a retirada de comissão por exclusiva iniciativa do gestor implica dar vez à pratica de assédio moral, tendo por consequência a tensão e o medo entre os empregados. A Contraf/CUT – CEE/Caixa cobrou da empresa a revisão de seu posicionamento em relação a critérios que evitem decisões unilaterais por parte dos gestores.

Trabalho aos sábados – As representações dos bancários condenaram a convocação de empregados para trabalhar aos sábados sem comunicação aos sindicatos e cobrou o controle de jornada dos gestores, para pagamento integral das horas extras realizadas durante feirões e outras atividades para as quais sejam convocados.

Login único – A Caixa foi alertada para o fato de haver locais em que não está sendo possível marcar o ponto, pelo fato de não aparecer no sistema o relógio de registro. A empresa ficou de verificar o problema e assegurou que será cumprido o cronograma de implantação da Estação Única, que vai até 31 de agosto.

FONTE: Contraf/CUT

FENACEF - Federação Nacional das Associações de Aposentados e Pensionistas da CEF | SCS QD. 01 Ed. Central • 7º andar - Salas 701 e 708 Brasília / DF - CEP 70.304-900 | Fone: (61) 3322-7061 - Fax: (61) 3225-1999 | Site desenvolvido por BR6