Saúde Caixa: por que eu defendo?

Desde a década de 1960, os empregados da Caixa têm assistência médica custeada pelo empregador, caracterizando assim um direito adquirido. Mas foi em julho de 2004 que o atual modelo de custeio do Saúde Caixa foi implementado, após intenso debate com as entidades representativas dos trabalhadores. Desde então, a Caixa paga 70% das despesas assistenciais e aos usuários cabem os outros 30%, garantindo a sustentabilidade do plano. Esse modelo, porém, 

pode mudar em breve, tornando-se excludente e insustentável em curto prazo.

Algumas resoluções do governo e a recente alteração no estatuto da Caixa propõem um  limite correspondente a 6,5% da Folha de Pagamento para a participação da Caixa nessas despesas, à revelia do que prevê o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). Isso significa que, uma vez implementadas essas alterações, o Saúde Caixa ficará mais caro 

e inacessível aos empregados e, em especial, aos aposentados. 

Para valorizar nosso plano de saúde e mobilizar os usuários em defesa deste importante direito, as entidades que representam o pessoal da Caixa lançaram a campanha Saúde Caixa: eu defendo. Se você é usuário do nosso plano de saúde, participe conosco e se engaje nessa causa! Não vamos permitir sua extinção! 

BAIXE AGORA O LIVRETO EXPLICATIVO SOBRE AS O QUE PODE MUDAR:

 

 

FENACEF - Federação Nacional das Associações de Aposentados e Pensionistas da CEF | SCS QD. 01 Ed. Central • 7º andar - Salas 701 e 708 Brasília / DF - CEP 70.304-900 | Fone: (61) 3322-7061 - Fax: (61) 3225-1999 | Site desenvolvido por BR6